TurfeOnline.com

  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Banner
Banner
Banner
Banner


Home Espaço Veterinário
Espaço Veterinário

PERIOSTITE METACARPIANA (DOR DE CANELA)

PERIOSTITE METACARPIANA

(DOR DE CANELA)

Autor: Leo Cury

A inflamação do periósteo (camada externa) do osso metacarpiano, é um achado freqüente em potros no início do treinamento. Conhecida como “Dor de Canela”, essa patologia ocorre por uma sobrecarga em um osso ainda imaturo, determinando micro fraturas no periósteo da camada dorsal do osso metacarpiano, causando inflamação, dor e intolerância ao exercício. Geralmente ocorre após um exercício de alta velocidade.

Diversas causas, associadas ou não, contribuem para a Dor de Canela. Dentre elas podemos citar:

1ª) Imaturidade. Os animais começam os trabalhos muito cedo, ainda na fase de modelação do osso que é de baixa densidade, portanto são ainda imaturos e um programa de treinamento intenso, leva o osso precocemente à fadiga e à Dor de Canela.

2ª) Conformação. Má conformação dos membros anteriores pode sobrecarregar o metacarpiano durante os exercícios, predispondo ao problema.

3ª) Individualidade. A característica individual de um padrão ósseo ruim, ocasionado por problemas nutricionais desde a gestação até no primeiro ano de vida, pode tornar o osso mais susceptível.

4ª) Piso. O tipo de raia onde os exercícios são realizados, pode também influir. Em terrenos duros a carga no metacarpiano é muito maior quando comparado com terrenos macios.

5ª) Treinamento intenso. É o elemento mais importante na causa da Dor de Canela. Os trabalhos de alta velocidade (anaeróbicos) repetidos a intervalos curtos, causam um estresse ósseo, sobrecarregando o periósteo do metacarpiano, provocando as micro fraturas que causam edema, inflamação e dor.

No tratamento da Periostite Metacarpiana, o repouso é o mais importante, embora uma fomentação do local com revulsivos ou termo cautério (ponta de fogo) pode acelerar a recuperação. Tão logo surjam os sintomas (deformidade do periósteo e dor) o treinamento deve ser interrompido e o tratamento iniciado. Nos casos graves ou crônicos a fomentação se faz necessário e o termo cautério ainda é o mais eficiente.

O prognóstico geralmente é bom, desde que não haja um comprometimento maior, como fraturas do metacarpiano que podem ocorrer quando os primeiros sintomas são ignorados e o treinamento continuado. O recomeço dos animais vindo de Dor de Canela deve ser feito cautelosamente e os exercícios anaeróbicos bem espaçados.

Como foi visto acima e apesar da Dor de Canela ser relativamente comum em potros no início do treinamento, pode ser evitada com um manejo bem orientado. É importante ter consciência que os potros iniciam com menos de 3 anos de idade quando os ossos ainda estão em modelação, portanto imaturos e um programa de treinamento bem direcionado se faz necessário.

FONTE: Resumo técnico pertencente ao arquivo do blog: www.medvetsport.blogspot.com destinado a pesquisa, estudo e debate da Fisiologia do Exercício do Cavalo Atleta. Protegido pela Lei 9.610 – Direitos Autorais. Todos os artigos e imagens possuem a citação das fontes.

 


Página 5 de 5

Publicidade

Banner
Banner
Banner
Banner

Apoio

Banner

Banner
Banner