TurfeOnline.com

  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Banner
Banner


Home Artigos Geral GRANDE PRÊMIO BRASIL (G.I) TEM EM GEORGE WASHINGTON SEU PRIMEIRO BICAMPEÃO DO MILÊNIO

GRANDE PRÊMIO BRASIL (G.I) TEM EM GEORGE WASHINGTON SEU PRIMEIRO BICAMPEÃO DO MILÊNIO

Craque criado pelo STUD TNT voltou a brilhar

na prova mais importante do Turfe Nacional

Reunindo preciosos animais de 4 anos e mais idade, o aguardado Grande Prêmio Brasil 2021 (Grupo I – R$ 200.000,00 + valor “ADDED”, de R$ 109.090,98, ao dono do animal vencedor) foi realizado no final da tarde de Domingo, 15 de Agosto, no Hipódromo da Gávea. Quem levou a melhor nos 2.400 metros, em pista de grama pesada, desta relevante competição foi o sensacional fundista GEORGE WASHINGTON (Macho, Castanho, 6 anos, do Rio Grande do Sul – Redattore e Princesa Carina por Know Heights), criado pelo STUD TNT e pertencente ao Stud Happy Again.

Muito bem comandado pelo ótimo Henderson Fernandes, o neto do memorável Know Heights, após permanecer inicialmente no fundo do lote, evoluiu na entrada da reta final para ingressar na luta pelo troféu. Vencedor desta prova em 2019, GEORGE WASHINGTON garantiu o primeiro bicampeonato de Grande Prêmio Brasil (G.I) do milênio ao despedir-se dos adversários quando restavam 300 metros para o disco. Sem dar chances aos rivais, ele garantiu pouco menos de 2 corpos de vantagem sobre o qualificado Jackson Pollock (4.Kodiak Kowboy), que evoluiu para ficar com a formação da Dupla. O terceiro posto pertenceu ao eficiente Mem Cade Ce (6.T.H.Approval). O participativo Olympic Kremlin (4.Agnes Gold), outro que teve desempenho elogiável, finalizou em quarto, deixando o favorito Pimper´s Paradise (6.Put It Back), que produziu abaixo do esperado, apenas no complemento do marcador. Em seguida, finalizaram: Or Noir, Caled, Novo Sol, Olympic Impact, Zarabatana, Osprey, Deep End, Head Office, Coração Sureño e Indigo Guerreiro.

O mestre Luiz Esteves (CT) é quem responde pelo treinamento do agora bicampeão GEORGE WASHINGTON, que repetiu os feitos dos extraordinários ALBATROZ (1943/1944), HELÍACO (1947/1948), GUALICHO (1952/1953), ZENABRE (1965/1966) e VILLACH KING (1991/1993). O descendente do inesquecível Redattore, que alcançou sua sétima conquista nobre, sendo a terceira de Grupo I, marcou o tempo de 2m34s47s.

FOTO: Bárbara F.Rodrigues – TURFE ON-LINE

GEORGE WASHINGTON: Defensor do

Stud Happy Again transbordou talento na raia carioca

Compartilhe

 

Haras e Studs


Publicidade

Banner
Banner
Banner
Banner
Banner

Banner
Banner